sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Garrafas de vidro, álcool e adolescência


Há alguns dias está sendo discutida a proibição da venda de embalagens de vidro no centro da cidade. As opiniões se dividem. Alguns defendem a ideia, argumentando o perigo que tais embalagens representam em caso de briga ou para os pneus dos carros. Outros, contrários, lembram a queda das vendas, a questão econômica que está incluída nesta discussão.

É necessário lembrar que em várias cidades já existe essa proibição. Não seríamos os primeiros a fazê-lo. Mas há uma outra questão a ser abordada: a quantidade de adolescentes (entenda-se aqui menores de 18 anos) que consomem bebidas alcoólicas no centro da cidade.

Não é muito difícil identificar, e o problema não é recente. Basta dar uma volta ou duas na rua Bento Gonçalves, entre a Prefeitura e o Banrisul, para ver vários adolescentes, à noite, com garrafas long neck. Seria cerveja? O rótulo afirma isso. Em alguns dias é possível ver alguns com uma garrafa pet de Coca-cola e uma garrafa de uísque, vodka ou cachaça (depende da situação econômica). Isso sem falar no famoso “limãozinho”, muito conhecido entre os jovens.

No dia seguinte, de manhã bem cedinho, é possível comprovar o número de long neck deixadas nos lugares nos quais os adolescentes estavam sentados. Com um pouco de “sorte”, você ainda encontra um ou outro indo para casa, muitas vezes cambaleante. É uma cena triste. Fico imaginando o que pensam o pai e a mãe quando veem um filho adolescente chegar bêbado ao clarear o dia!

A questão é: se os bares não vendem bebidas aos menores de idade, porque é proibido, como esses adolescentes conseguem a bebida? Os adultos, em geral, se concentram nos bares, ou na frente destes. Os adolescentes, muitas vezes se concentram em escadarias ou degraus existentes nas calçadas. É ali que se encontram tantas garrafas vazias.

Creio que, se em um fim de semana fosse emprestado o etilômetro (também conhecido como bafômetro), e de surpresa fosse feito exame em todos os adolescentes que se encontram no centro, teríamos uma grande surpresa. Arrisco o palpite de que pelo menos metade apresentaria algum nível de teor alcoolico.


Concordo que é necessário resolver o problema do lixo, mas a responsabilidade por nossas crianças e jovens também deve ser discutida. Afinal, eles não são o futuro da cidade. Já fazem parte do presente!

14 comentários:

Cybele Meyer disse...

Olá Professor Pedro,

Obrigada pelo presente!
Vim aqui buscar e adorei o seu espaço.
Obrigada pelo carinho. voltarei mais vezes
abs

Prof. Pedro Rangel disse...

Obrigado pelo elogio, Cibele, fique à vontade para visitar o Blog e comentar quantas vezes desejar!
Abraços!

Elaine disse...

Pedro, dias atrás um dos jornais de Restinga (temos dois semanários, claro!) abordou esta questão, o texto e, inclusive, fotos estão disponíveis em http://www.tribunaderestinga.com.br/noticias.php?noticiaid=760 parece que isto é cultural ou, quem sabe, uma tentativa de afirmação pessoal de uma moçada que recém saiu dos cueiros! Abcs.

Prof. Pedro Rangel disse...

Prof Elaine, li a notícia. Conversei nos útimos dias com pessoas de outras cidades, que também disseram que em suas cidades ocorre o mesmo. Fico pensando em alternativas para mudar essa realidade! Ou fazemos alguma coisa! Grande abraço!

Suely disse...

Oi, Pedro!

Aqui, em Uruguaiana, essas cenas se repetem...

Acho que projetos nas escolas são fundamentais para que se debatam esses temas com a gurizada. A gente precisa "falar sobre"... e não jogar pra baixo do tapete, como se não fosse problema meu!
@s educadores(as) - pais, mães, professores(as)...- devemos assumir a responsabilidade de "cuidar"...

Abraços!

Prof. Pedro Rangel disse...

Oi Suely, realmente o problema é bem maior do que parece a princípio. Às vezes nos parece uma cervejinha inocente no fim de semana, mas isso acontece em todos os fins de semana, durante todo o ano! Estamos em um ponto em que não se consegue fazer, na maioria dos casos, uma boate ou similar, se não houver a venda de bebidas alcoólicas. Parece que muitas pessoas não conseguem se divertir sóbrias!
Concordo que a solução dos problemas passa pela família e pela escola. Já abordei o assunto em outros anos letivos e estou me preparando para levantar novamente a questão. Há muito o que fazer!
Grande abraço e obrigado pela participação!

rosangela disse...

Olá amigo.

Vim lhe presentear com o selo Amizade Internauta. Acesse o blog http://ciencisagora.blogspot.com/2009/09/selo-amizade-internauta.html , copiar o selo pro seu blog.

Um abraço.


Rosangela
www.ciencisagora.blogspot.com

danilo disse...

Essa questão de alcoolisma na adolescencia é muito grande. A onde eu moro tem muitas crianças que bebem e ficam jogada na rua com a proibicão de vrndas de bebidas alcoolicas para menores de 18 anos

danieli disse...

Achei muito interesanre,pos os jovens de hoje en dia estam se enregando ,para bebidas,drogas,muitos estam visiados em bebidas alcoolicas.
Esse texto é um alerta para os pais e para eles tambem.

Anônimo disse...

O texto falar muito de adolescente. eu achei mnuito importante esse texto
Esse texto e um alerta para os jovens de hoje que pensam só em bebidas,drogas etc...

Vanessa disse...

o texto ajuda a influenciar os jovens a não beber pois , os jovens só pensam em bebidas,drogas e sexo nem todos mas a maioria...

evelyn disse...

o texto falar muito de adolescente.eu acheimuito importanteesse texto.
esse texto e um alerta para os joven de hoje que só pensam em bebidas,drogas etc..

vitor disse...

eu achei o texto muito legal e serto porque os menores de 18 anos não pode beber cachasa.

Prof. Pedro Rangel disse...

Felizmente, amigos, a situação dos menores ingerindo bebidas alcoólicas na rua principal (pelo menos nesta) modificou-se. Não tem acontecido da maneira como acontecia, embora, é óbvio, eu não acredite que o problema tenha sido resolvido. Pelo menos não está tão evidente quanto antes.

Infelizmente, há ainda muito o que fazer em relação a essa questão do consumo de bebidas, e também em relação ao consumo de drogas, que, segundo relatos de muitos moradores de nossa cidade, acontece inclusive na Praça Municipal Getúlio Vargas, no centro da cidade...

Obrigado a todos pelas visitas! Continuem participando!