terça-feira, 4 de novembro de 2008

Idéias de adolescente

Adoro conversar com adolescentes. É uma experiência muito interessante. Há quem diga que são superficiais, enfadonhos, inconstantes, mas discordo destas opiniões. Há momentos em que os adolescentes conseguem viver e sentir a vida de uma maneira mais profunda do que qualquer adulto poderia fazer.

Hoje, em uma conversa destas, surgiu o assunto do “ficar”. Uma menina disse que cansou de “correr atrás”, referindo-se ao fato de pensar que, se a primeira vez foi boa, as próximas deveriam ser melhores ainda (entenda-se aqui ficar como abraçar e beijar, nada mais). Num momento de inspiração, proferi um clichê: “Ser feliz é como segurar um punhado de areia. Se você tenta apertar a mão, a areia escapa por entre os dedos.”

Creio que a felicidade é realmente assim. Se tentarmos segurar algo ou alguém, acabamos sufocando nosso objeto de desejo e, não raramente, perdendo-o. Nas relações humanas, creio que essa regra é mais geral ainda.

Discutir a existência ou não da felicidade e as formas de alcançá-la é uma questão teórica e complexa, talvez filosófica. Creio que o principal é procurar aproveitar os momentos felizes, sem ser inconseqüente, mas dando-nos o direito de aproveitar cada uma das pequenas vitórias de nosso cotidiano.

Permanece o exemplo da areia. É preciso manter a mão aberta.

3 comentários:

Déda Seifert disse...

Ual... Ser adolescente.... Época mágica... Época que as responsabilidades não pesavam (ou tinham peso e poucos sabiam). Pura verdade ao afirmar que a felicidade é uma questão teórica e complexa, talvez filosófica. Complexa mesmo, recheada de controvérsias, de mil elementos e, pq não afirmar, de mil misturas... A felicidade não deve ter parâmetros, mas creio que os jovens deveriam saber realizar medições... Assim, poderiam se poupar das decepções... O problema maior seria de como realizar tais medições!

P.S. estava com o pc queimado... senti saudade!!! Abraço profe...

Rozani disse...

Muito bom esta tua publicação, também trabalho com adolescntes e gosto muito de ouví-los.

Prof. Pedro Rangel disse...

Rozani, obrigado pelo comentário! Fica o espaço à disposição, se quiser contar suas experiências com adolescentes, terei prazer em postá-las aqui no Blog. Grande abraço!