quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Professores estressados: falência da educação?


Nos últimos dias tenho visitado muitos blogs a respeito de educação. Em muitos deles li posts e comentários de professores estressados, que afirmam que a educação no país nunca esteve tão mal quanto agora, e fazendo previsões devastadoras, de um futuro pouco promissor (para usar um eufemismo) e fadado à ignorância.

Com todo o respeito devido a estes profissionais, lembro da época de minha infância. Lembro de que evitávamos entrar nos banheiros da escola durante o intervalo porque os estudantes mais velhos jogavam rojões e seguravam as portas, impedindo que os menores saíssem antes das explosões. Lembro de festas juninas nas quais estudantes saíam feridos por brigas causadas por embriagues, devido ao “quentão” vendido pelas escolas para angariar fundos. Lembro do tempo em que a “colaboração para a merenda” era trazida pelos estudantes, e o cardápio era geralmente sopa.

Lembro de um tempo em que alguns conseguiam uma educação sólida, enquanto a maioria era excluída sistematicamente dos bancos escolares, por não se adequar ao perfil considerado ideal pelo(a) professor(a).

Essa é a educação de qualidade que tínhamos antigamente? As coisas pioraram? Claro que era muito mais fácil para um professor conseguir a aprovação com louvor de todos os seus alunos, quando aqueles que não se adaptavam ao seu sistema podiam simplesmente ser expulsos da escola! Ouve-se muito a frase: “Ele fez só o primário e sabe muito mais do que os acadêmicos na universidade”. Isso é realidade? Em alguns casos é, se você comparar um bom aluno com os piores de outra geração.

Talvez seja essa questão que estressa tanto muitos professores. Estamos focados nos considerados “piores”. Que notícias temos, em geral, de estudantes? Pérolas, divulgadas por professores de intenções duvidosas, violência, desinteresse... Será que é só isso que temos em sala de aula? Por que temos tantas comunidades de professores no Orkut que falam dos erros de seus estudantes e tão poucas que falam de seus acertos?

Por que tantos professores escrevem sobre seus fracassos no trabalho docente e não comentam nada sobre seus sucessos? Por que as piores condutas viram notícia e as conquistas ficam escondidas? Por que tantas pessoas passam a vida criticando a educação em nosso país, e tão poucas procuram discutir alternativas para melhorá-la?

Talvez se deixarmos de ficar olhando o problema e nos concentrarmos em achar uma solução, o estresse diário diminua. É necessário analisar os erros, mas também é necessário comemorar os acertos do cotidiano, para que a vida possa ter sabor!

9 comentários:

Prof. Pedro Rangel disse...

Observação: quando faço referência a "bons" e "maus" alunos, deve ficar claro que esta é apenas uma maneira de expressão. Não existem alunos bons ou maus, isso é pura e simplesmente um julgamento subjetivo feito por alguns professores.

Prof. Pedro Rangel disse...

Esqueci de comentar que a imagem foi copiada do Blog Pebinha de Açúcar.

Pedro Sá disse...

Tenho um prémio para si no meu blog ;)

Fernanda Santiago Valente disse...

Tudo estressa o professor nos dias de hoje não é mesmo? Salários baixos e alunos cada vez piores... Falta mesmo é respeito. A verdade é que tantos os alunos como os professores se acomodaram. Está faltando criatividade na educação e procurar melhoras é o que realmente necessita ser feito. Não apenas reclamar dos alunos; e alunos reclamarem dos professores

FRX disse...

cara de fé a educação no brasil é um lixo mas não podemos generalisar mas se bem que na época que eu estudava tinha cada professor desinteressado

=/

e aproveitando que to aqui
será que vc poderia fazer um favorzinho
:D
O MEU BLOG É O EXOTICLIC E ELE TÁ CONCORRENDO NO GRUPO " D " deste link
http://votegeistolia.blogspot.com/

será que vc poderia votar em mim?

profeelaine disse...

Te coloquei como blog amigo, quero que meus alunos possam ler teus textos e, quem sabe, meus colegas também! abçs

Elaine dos Santos disse...

Mas existem alunos que não estressam e até são responsáveis por novos costumes, novas posturas dos seus professores (no caso, ex-professores!). O Pedro, meu ex-aluno na urcamp e o Douglas, meu ex-aluno na escola e, agora, cursando comunicação na unifra, são os responsáveis pela nova "brincadeira" que aderi e que tem sido uma excelente fonte "de divertimento", ao mesmo tempo em que me põe em contato com o mundo e me permite dizer um pouco do que penso. Valeu!!!

Fabrício Oliveira disse...

Realmente hoje em dia cuidar da Educação é uma tarefa bem intensa e dificil, e requer imensamente cuidado! Eu faço um trabalho hoje na ONG que atuo e aprendi durante os lugares que vamos fazer formação, que o Educador e o Educando precisam comungar de um mesmo bem estar! O Educador precisa buscar renovações e bem estar em seu dia a dia e assim conseguirá uma harmonia em sala de aula, uma vez que ele está se sentindo bem.
A midia, contribui com o estimulo e por isso que hoje acontece essa loucura, vamos nos cuidar e buscar uma Educação para a Paz, Uma Educação Para o Coração. Fabrício Oliveira fabricio@visaofuturosp.org

Anônimo disse...

Então bonita esta página parece muito desenvolvido.........boa:)
Adorei Continua deste modo !